WOOL @ Google Art Project

and it’s with great pride that we announce that from this moment the WOOL is partner of the Google Art Project and all platforms that are being launch today !!

With us we take also 147 projects, 8 national and international cities, 40 portuguese artists and 16 international artists !!

You can check it all here: https://www.google.com/culturalinstitute/collection/wool-festival?hl=pt&projectId=art-project

Our thanks to all who believe in this project, which today stands out as the big platform for the promotion and enhancement of the Portuguese Urban Art! <3

WOOL @ GOOGLE art project

Tour Paris 13 | the book

We know this is not from this new year, not even 2014, but finally we received our copy of the book TOUR PARIS 13, reporting all rooms transformed by the 105 artists and all the good moments we passed out there!

IMG_0265 IMG_0266 IMG_0267 IMG_0268 IMG_0270 IMG_0272

WOOL ON RESIDENCE | day 14

Day 14 _ The artists continues working and the tours continues. Today we received our last guest, *L , who arrived for present her work and left some things in covilhã walls, which combines with the presentation of Lata 65 by Lara Seixo Rodrigues, who presented Tour Paris ’13 too.

0010 0018 0020 0034 0036 0044 0058 0066 0081 0095 0097 0104 0107 0113 0116

WOOL @ DJERBAHOOD

In the past day 1st of August was launched at Tunisia the project DJERBAHOOD, which aims to become the truly and only open air museum. It counts with 150 artists all over the world, between those the Portuguese’s: Pantónio, Add Fuel, Mário Belém e Arraiano.

DJERBAHOOD is the most recent project of Itinerrance Gallery (Paris), after the success of Tour Paris 13, and pretend to take during this summer thousands of artists of thirty different nationalities, to the authentic and traditional village of Erriadh, right in the center of Djerba island transforming it into a space of multicultural expression. As Mehdi Ben Cheikh, the mentor of the project, explains, ‘a new adventure, a new movement to a country in formation’.

At the invitation of Itinerrance Gallery, as occurred at the Tour Paris 13 project, Lara Seixo Rodrigues (WOOL) took with her, between the 7th and 15th of July, some of the stand out urban artists of our country to ‘live their distinctive marc in a memorable artistic project. But above all, also take advantage of a unique and memorable experience, both the interaction between artists as the experience of a culture and daily sharing with local and traditional community, as a singular moment in history’.

djerbahood - cartaz

Erriadh, which means in Arabic neighbourhood (pun which the project name appears), is one of the oldest towns of Tunisia, which has kept its authenticity of narrow streets and preserved its typical architecture of ‘Houch’ (homes that are constituted by a courtyard around which are distributed local rooms and other social sharing), always painted white and decorated with doors and windows blue.

Erriadh is also the first Jewish village, which houses the oldest synagogue in North Africa and the second in the world. Other peculiarities is that the Muslim and Jewish communities are everywhere and socialize, always in a peaceful environment, while remaining true to their traditions, but always welcoming foreigners with kindness, here designated only by ‘non-djerbianos’.

djerbahood - add fuelAdd Fuel

djerbahood - arraiano

Arraiano

djerbahood - mario belem

Mário Belém

djerbahood - pantonio

Pantónio

More photos here.

‘A torre de Paris’

Paris, França, 2013.

Numa acção organizada pelo tunisino Mehdi Ben Cheikh, uma envelhecida e quase abandonada torre de apartamentos, foi autenticamente tomada de assalto por um conjunto de artistas urbanos vindos de vários cantos do mundo, incluindo do nosso, Portugal.

Durante meses, grupos de elementos de cada país foram ocupando revesadamente o edifício e cobriram de tinta, pinturas e colagens tudo o que puderam.

No interior, os artistas desenharam, escreveram palavras de ordem e de desordem, construiram objectos estranhos, amontoaram tralha em corredores, levantaram tábuas do soalho, esburacaram umas paredes e rebentaram com outras, e arrancaram várias portas, bem como outros elementos arquitectónicos.

O prédio, na total extensão dos seus nove andares, ficou completamente transfigurado e praticamente irreconhecível depois da passagem desta trupe.

*

Descrever o acontecimento desta maneira, com truques de agente duplo, é algo que acontece vezes demais e que só faz com que dois públicos diferentes se agarrem às suas ideias pré-feitas sobre arte urbana:

Os detractores dirão “Eh, bando de sacanas sem lei!”, e os fanáticos dirão “Eh, isto é mesmo espectacular!”

E este tipo de leitura, precipitada, só cria mais divisão, não favorecendo o diálogo sobre o tema em questão. Por um lado, a arte urbana não é sinónimo de crime, e, por outro, nem toda resulta bem, técnica ou conceptualmente.

Interessa informação, sim, e ver mais para aprender a ver melhor para, assim, poder debater o assunto sem extremismos.

**

Neste caso em particular, o que pode parecer um ataque espontâneo e ilegal, a um pobre prédio, tristonho e abandonado, algures em Paris, é, na verdade, exactamente o contrário.

Tour Paris 13 é o nome do projecto coordenado pelo director da Galerie Itinerrance, Mehdi Ben Cheikh. Trata-se de uma iniciativa artística promovida pelo poder local, a mairie du 13ème arrondissement, desenvolvida numa torre de apartamentos quase desabitada, em Paris, situada numa zona em processo de renovação urbanística.

A ideia consistiu em convidar cerca de uma centena de artistas urbanos, oriundos de dezasseis países, a voluntariamente ocupar com a sua linguagem o edifício. Foi estabelecido um calendário para as presenças das comitivas de cada país, e durante sete meses foram avançando os trabalhos.

Sobre este processo, o resultado final, as visitas à exposição e os acontecimentos imediatamente seguintes, será realizado um documentário.

E afinal o que aconteceu em concreto?

À medida que as mudanças foram acontecendo em cada espaço, a relação entre os mesmos foi sendo alterada e o próprio edíficio de apartamentos foi deixando de ser reconhecido como tal. Todos espaços comuns de circulação mudaram de identidade e os apartamentos também, mesmo aqueles, poucos, que por serem ainda habitados, não foram alvo de intervenção artistica directa – neste novo contexto, uma habitação normal constitui ela própria um objecto artístico; uma coisa misteriosa, que perturba, provoca e fascina.

A magnitude artística desta iniciativa é amplificada pelo facto de se usar como suporte uma peça complexa e finalizada da própria linguagem urbana; o edifício de apartamentos. Não é uma parede longa, não são uns metros de estrada, não é um pilar dos grandes, não é uma boa fachada cega; é o exterior e o interior de toda uma torre!

Transformada em instalação artística à escala urbana, tornou-se esta a mais fantástica torre de Paris. Durante o mês de Outubro apenas, a exposição esteve aberta ao público e foi um sucesso – as dez horas de espera para visita, em muitos dos dias da exposição, demonstram isso, mesmo tendo em conta que as visitas eram limitadas a 49 pessoas em permanância simultânea no edifício, devido a questões de segurança.

Iniciativas como esta, onde a fasquia é colocada alta, a organização é cuidada e as expectativas são superadas, contribuem claramente para a afirmação da arte urbana, pois, são esclarecedoras quanto à natureza e à riqueza da mesma.

Cada capítulo de excelência na história de qualquer tema público é uma óptima  oportunidade que temos para rever a forma como nos relacionamos com ele, pessoalmente e também enquanto sociedade. A já muito antiga ideia de associar arte urbana a vandalismo, pode continuar a existir, arrastando-se preguiçosamente e tropeçando na sua própria tolice dentro das mentes de muitos, mas, convenhamos, trata-se de uma coisa em vias de extinção. E ainda bem.

***

A Tour Paris 13 ocupa agora lugar de destaque no mapa internacional de arte urbana e… figura também na lista de edifícios a demolir, no âmbito do já referido processo de renovação urbanística daquela zona.

Em Novembro começa o processo de demolição.

Conservadora e superficialmente pode olhar-se para isto como a destruição de um ícone da arte urbana, um lugar que seria, decerto durante anos, ponto de romaria obrigatório, não só para admiradores atentos, mas também para um público mais alargado.

Mas esta estória é diferente, e um verdadeiro lugar na história nunca é um lugar-comum.

O facto de haver um prazo de existência definido para a torre, não foi interpretado como uma catástrofe inevitável, antes sim, transformado no capítulo lógico e final deste projecto artístico. A sua demolição não é um atentado à arte urbana, é a celebração crua e absoluta do seu carácter efémero, que está directamente ligado à dinâmica de tranformação típica do lugar onde nasceu, e o único onde sempre se irá desenvolver e progredir: as ruas.

Quando a torre vier totalmente a baixo, terá nascido uma lenda típica do século XXI; um acontecimento exaustivamente documentado, oficial e informalmente, que não necessita de se tornar monumento para se perpetuar no tempo.

Corre Novembro, a Tour Paris 13 fechou, e a Eiffel pode agora voltar a ser “a“ torre de Paris.

****

A comitiva portuguesa foi constituída por Add Fuel, Corleone, Eime, Kruella D’Enfer, MAR, Mário Belém, Pantónio, Paulo Arraiano, Samina, Vhils e MaisMenos, artistas seleccionados, contactados e levados à torre por Lara Seixo Rodrigues, co-fundadora do WOOL – Festival de Arte Urbana da Covilhã.

Na sequência da presença na torre, Pantónio passou a ser representado pela Galerie Itinerrance, tendo já viajado para a China para executar um mural de grandes dimensões e mostrado o seu trabalho no projecto Le M.U.R. Mulhouse e participado em leilões e feiras de arte.

Add Fuel foi também convidado a participar no projecto Le M.U.R Mulhouse, onde voltará durante 2014.

Outros artistas foram convidados a expor na Grécia e Samina já passou por Istambul para executar um mural de grandes dimensões e Lara Seixo Rodrigues foi contactada por vários coleccionadores de arte, interessados na compra de trabalhos de alguns dos artistas portugueses que marcaram presença na Tour Paris 13.

Até à data, um total de 1245 notícias/artigos foram escritos sobre o projecto TOUR PARIS 13 e promete não acabar a contagem.

www.tourparis13.fr

 

_ uma espécie de antes, durante e depois por Nuno Manuel da Fonseca.

 

 

WOOL @ Festival IN

LXFactory, the creative complex where we are based in Lisbon, invited us to represent them at FESTIVAL IN – inovação e creatividade, that happened past days. And we took there a lot of art and paint and spray! To show just a bit of what we have been doing the past 2 years!

We had represented there a bit of the projects made at Covilhã, Lisbon, Coimbra, Figueira da Foz, Fundão, Boidobra, Paris and our project LATA 65. But the best part was the had with us Samina, Add Fuel, Tamara Alves, José Carvalho and Hugo Makarov, showing a bit of their magic!

Thanks a lot to all that came to visit us, to meet us and to all that just passed by and loved our work! <3

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11.1 11 12 13.1 13 14 15.1 15 16 17 18 19

WOOL’s october 2013

This month of October was a totally, extremely,  FULL month. So ending it, we have to celebrate it.

We were at Paris with TOUR PARIS 13 and we were at Lisbon, encouraging all Portugal to vote in our project LATA 65.

And if the result of the votation for LATA 65, we will only know next week, about TOUR PARIS 13, closed now to the public and almost starting it demolition, it’s time to THANKS (once more) to some people:

– to Galerie Itinerrance and Mehdi Ben Cheikh that made possible the presence of the portuguese crew at this awesome event
– to GAEL, the ‘master of keys’ or the ‘guardian of the tower’
– to Thomas Lallier and his team, that followed us during days capturing all about the works to the doc.
– to all the press, in Portugal and in Paris, that showed enthusiasm to find out a bit more about the tower and about the portuguese artists (Target, Paulo Dentinho, Carina Branco, Clara Silva, Joana Capucho, Tatiana Gonçalves, Sofia Meireles, Mickael de Oliveira, …)
– to Alice, Elsa, Christian, C215 and to all those we crossed during the 9 months of the entire project

For the end, a SPECIAL THANKS to all the 11 artists that we challenged to be in Paris, showing a bit of the talent that exists in Portugal:
– Vhils
– Pantónio
– Add Fuel
– Eime
– ±MAISMENOS±
– Mário Belém
– Kruella d’Enfer
– Corleone
– Paulo Arraiano
– Mar
– Samina

<3

 

WOOL @ TOUR PARIS 13 (trailer)

As we have already told you, in 2014 will be released a documentary about all the project TOUR PARIS 13, film by Thomas Lallier for France Ô in co-production with La Blogothèque. In it they will portray the arrival, the appropriation of spaces, ideas and questions, and especially the determination of artists in building all this ephemeral universe. The filming which commenced in March 2013 will end with the capture of the demolition of the tower.

For now we just have this trailer to show you, enjoy it (by clicking on the image below)!!

Untitled-1